Quaresma na história

©Ravi S R

©Ravi S R

Quaresma é um tempo do Ano litúrgico preparatório da Páscoa, a grande celebração. Atualmente a Quaresma vai da Quarta-feira de Cinzas até Quinta-feira Santa, excluindo a Missa da Ceia do Senhor, que já pertence ao Tríduo Pascal.

Até ao século III, viviam-se tempos de perseguição e martírio (penitência quotidiana), não havia o período de preparação para a Páscoa. Os primeiros cristão davam grande importância ao tempo pascal, desde a Ressurreição ao Pentecostes.
É no século IV, com o Concílio de Niceia (ano 325) que temos a primeira referencia à Quaresma. Inicialmente durava 3 semanas, mas depois, em Roma, foi alargada a 6 semanas (40 dias), com início no atual I Domingo da Quaresma (na altura denominadoQuadragesima die, entenda-se quadragésimo dia anterior à Páscoa). Havia uma grande tónica batismal: catequese, escuta da Palavra, oração, que preparava os catecúmenos para o batismo a receber na Vigília Pascal.
O termo Quadragesima (que deu a nossa “Quaresma”) passou depois a designar a duração dos 40 dias evocativos do jejum de Jesus Cristo no deserto a preparar-se para a vida pública. Como, tradicionalmente, aos domingos nunca se jejuou, foi necessário acrescentar alguns dias para se perfazerem os 40. Daí a antecipação do início da Quarema para a Quarta-Feira de Cinzas.
O Concílio de Trento prescreveu que a Quaresma fosse um tempo de grande pregação da Palavra para catequização do Povo de Deus. A Palavra levará à conversão e à receção dos sacramentos. Conduzirá a uma vida mais evangélica.
O Concílio
Vaticano II suprimiu quase todas as festas dos Santos no tempo quaresmal, determinou novas leituras para a liturgia diária, enriqueceu o ritual da penitência, das celebrações penitenciais, e deu orientações pastorais e espirituais para a Quaresma, sem esquecer o sentido do jejum, da abstinência, da caridade, etc.
O papa Emérito Bento XVI na sua última Mensagem para a quaresma diz-nos que o “tempo de Quaresma, em que nos preparamos para celebrar o evento da Cruz e da Ressurreição, no qual o Amor de Deus redimiu o mundo e iluminou a história, desejo a todos vós que vivais este tempo precioso reavivando a fé em Jesus Cristo, para entrar no seu próprio circuito de amor ao Pai e a cada irmão e irmã que encontramos na nossa vida”.
Continuemos a fazer da Quaresma um tempo de preparação para a Celebração da Páscoa, através da penitência, jejum e oração.

Texto escrito para a Revista Online O Teu Espaço

Fontes consultadas

Enciclopédia Católica Popularhttp://www.ecclesia.pt/catolicopedia/
Dário Pedroso, sj, Caminho de Libertação, 3.ª edição, revista, Editorial Apostolado da Oração, Braga, 2008, págs. 11-13


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s