Cristo ressuscitou, Aleluia.

Tlim, tlim, tlim, tlim, tlim, tlim: já se ouvem as campainhas do compassado em direção à Igreja matriz. A igreja está toda imaculada para celebrarmos a missa da aurora. Os mordomos continuam pela rua principal a procissão até à igreja: tlim, tlim, tlim, tlim, tlim (de quando em vez, tlão, tlão…).

Celebrada a missa da aurora sai o compasso. O pároco pede aos mordomos e a todos os que acompanham o compasso: hoje anunciamos uma grande alegria, Cristo Ressuscitou! Por isso, não se esqueçam de dar esta notícia a todos, mas com um sorriso na cara. Sois portadores da grande NOTÍCIA.

Depois do pequeno almoço na casa paroquial, esta tudo a postos: o rapaz da campainha (que vai à frente a anunciar a chegada); as meninas com as recordações; os mordomos com as suas toalhas brancas; o representante do padre e, claro, a caldeirinha. Cada uma das seis cruzes começa a percorrer o seu trajeto, previamente estabelecido.

Neste dia há sempre os famosos comentários estão atrasados este ano; nunca passaram tão cedo aqui, andam muito rápido; agora fazem o favor de provar isto e aquilo; estão tão lindas as cruzes; ai que menina tão linda, é filha de quem?…

 E de casa em casa se cumpre o ritual:

Cristo ressuscitou! Aleluia, aleluia!

Todos respondem: Aleluia, aleluia!

Paz nesta casa e a quantos nela habitam

Todos respondem: Aleluia, aleluia!

Que a bênção de Cristo ressuscitado (asperge a sala com água benta) assista a este lar e nele haja amor e paz, pão e saúde, hoje e sempre.

Todos respondem: Aleluia, aleluia!

Toda a vila cheira a PÁSCOA: casas perfumadas a cabrito; rua enfeitadas com as flores do campo; a correria de casa em casa para beijar a cruz na casa dos vizinhos, amigos e conhecidos. Um dia de imensa alegria. Um dia em que a tradição ainda é o que era

Terminada a parada dos bombeiros no quartel, as pessoas começam a cantar à força toda ialeleuia, ialeluia… até se chegar à igreja.

O dia termina com a bênção e agradecimentos do pároco e mais uma vez ialeleuia, ilaleluia…

Isto mesmo estamos hoje a viver em Vila Verde, Braga. Somos 14 mordomos. Todos primos. Caso estejas por perto, faz-nos uma visita.

Cristo ressuscitou! Aleluia, aleluia!

Bento Oliveira

Escrito para a revista online O Teu Espaço


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s